terça-feira, setembro 09, 2008

Brasil admite que estranha campanha de vacinação provocará mais reações graves do que impedirá defeitos congênitos

VISITE O SITE IMORTAIS GUERREIROS - link na HOME do Blog

04 Setembro 2008


Matthew Cullinan Hoffman


FONTE: JÚLIO SEVERO


MARANHÃO, BRASIL setembro de 2008 (LifeSiteNews.com)


Revelação lança mais dúvida acerca da campanha que se parece com programas anteriores de esterilização


Com duas pessoas em estado “grave” depois de receberem a vacina da rubéola durante a campanha de vacinação em massa, as autoridades governamentais admitiram um índice de reação adversa que deverá provocar um total de 70 tais males durante o andamento da campanha.


As vítimas, que sofreram insuficiência renal e dificuldades de respirar em São Luiz, no Maranhão, estavam em “estado grave”, conforme declaração de Marco D’Eca, um blogueiro patrocinado pelo grupo Globo.


D’Eca diz que os promotores da campanha estão reconhecendo que um de cada um milhão de pessoas recebendo a vacina poderá sofrer uma reação adversa. A meta da campanha é vacinar 70 milhões de pessoas, a maior da história, a qual deverá pois resultar em 70 reações adversas, pela própria confissão dos promotores da campanha.


Contudo, outras fontes confessam que o índice de reações adversas para a vacina de rubéola, caxumba e sarampo (MMR), a qual é a forma geralmente administrada na campanha do Brasil, é muito mais elevado.


De acordo com um estudo finlandês, uma de cada 110.000 pessoas que receberam a vacina MMR sofreu “ataques febris”, uma em cada 200.000 sofreu de anafilaxia (reação alérgica que pode ser fatal) e uma em cada 500.000 sofreu de pneumonia. Uma em cada um milhão contraiu encefalite — isto é, o cérebro delas inchou ( http://www.medicine.ox.ac.uk/bandolier/band84/MMR.html ).


Se essas estatísticas são exatas, então aproximadamente 700 ou mais pessoas sofrerão sérias reações à vacina compulsória, que o governo brasileiro diz está sendo dada para impedir 17 defeitos congênitos anualmente devido à rubéola.


“Curiosamente”, diz D’Eca, “os efeitos da vacina, apesar de raros, são mais graves que a manifestação da própria doença. Mas ninguém diz isso na campanha de vacinação”.


A revelação de tais estatísticas lança mais dúvidas acerca dos motivos da campanha, que as organizações pró-vida consideram como tendo semelhança suspeita com programas velados de esterilização conduzidos em outros países, inclusive Argentina, Nigéria, Filipinas, Nicarágua e México.


Magaly Llaguno, da filial hispânica de Human Life International, respondeu às notícias expressando “profunda preocupação com os riscos de saúde envolvidos nessa campanha de vacinação no Brasil, e também com a possibilidade de que as vacinas poderiam estar contaminadas com o hormônio anti-gravidez hCG, conforme várias fontes indicaram”.


“Pedimos que o governo brasileiro conduza uma investigação minuciosa antes de continuar com tal campanha em massa para vacinar 70 milhões de pessoas”, acrescentou ela.


Artigos importantes em português:


Deputado federal busca respostas sobre a suspeita campanha de vacinação


http://juliosevero.blogspot.com/2008/08/deputado-federal-busca-respostas-sobre.html


Vacinação em massa no Brasil levanta suspeitas de programa velado de esterilização


http://juliosevero.blogspot.com/2008/08/vacinao-em-massa-no-brasil-levanta.html


O que está por trás da campanha “Brasil Livre da Rubéola”?


http://juliosevero.blogspot.com/2008/08/o-que-est-por-trs-da-campanha-brasil.html


Artigos importantes em inglês:


UNICEF Nigerian Polio Vaccine Contaminated with Sterilizing Agents Scientist Finds http://www.lifesitenews.com/ldn/2004/mar/04031101.html


NEW WORLD HEALTH ORGANIZATION CHIEF INVOLVED IN POPULATION CONTROL VACCINE SCANDAL


http://www.lifesitenews.com/ldn/2003/jan/03013003.html


UNICEF’s Other Agendas Popular Children’s Aid Agency at Odds With Conservative Religious Groups for Embracing Politically Correct U.N. Viewpoints


http://www.lifesitenews.com/ldn/2002/oct/021030a.html


Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com


Fonte: LifeSiteNews

Um comentário:

Cris Carnaval disse...

Olá Fabiano,
Tudo bem?

Meu nome é Cristina e em nome do Ministério da Saúde envio algumas informações sobre as dúvidas citadas no seu post.

A vacina não causa nenhum problema na gravidez . E este fato já foi comprovado até mesmo por estudos e acompanhamentos feitos com gestantes que se vacinaram sem saber que estavam grávidas. E nenhuma delas apresentaram problemas com o feto. As gestantes só não podem participar das campanhas por uma medida de prevenção, para que nenhum problema, que possa ocorrer na gestação, venha a ser ligado com a vacina.

A vacina não causa infertilidade. O objetivo dessa campanha é livrar a população da Rubéola, assim como fez com a Paralisia Infantil e com o Sarampo. O público-alvo da campanha são 70 milhões de homens e mulheres em todo o Brasil.

É importante que quem já se vacinou ou já tenha tido a doença, se vacine novamente. Assim, reforça o nível de imunidade contra a Rubéola e Sarampo, evitando possíveis danos à saúde e à qualidade de vida que a SRC (Síndrome da Rubéola Congênita) pode causar na vida das pessoas.

a Organização Pan-America da Saúde testou a vacina e parabenizou o Ministério da Saúde do Brasil pela campanha e exemplo.

Eles afirmam que as vacinas utilizadas na campanha têm segurança inquestionável e são as mais utilizadas no mundo.

A campanha de vacinação contra a rubéola no Brasil é um fator fundamental para eliminar a circulação da rubéola no país e para prevenir a ocorrência de crianças nascidas com a síndrome da rubéola congênita.

Para tirar este tipo de dúvida, você pode entrar no site www.brasillivredarubeola.com.br.
Todas estas informações são públicas e estão abertas a todos, desde o primeiro dia da campanha.

Att,