quarta-feira, novembro 19, 2008

Carta do Sr Cmt G da PM de Santa Catarina referente ao programa fantástico.

VISITE O SITE IMORTAIS GUERREIROS - link na HOME do Blog

Referente ao episódio do seqüestro e morte da adolescente Eloá em SP

Florianópolis, 21 de Outubro de 2008

Carta ao Fantástico:


Prezados Produtores do Programa Fantástico da Rede Globo de Televisão,


Ao cumprimentá-los cordialmente, venho por intermédio deste expediente, na condição de Comandante Geral da Polícia Militar de Santa Catarina, apresentar nota de REPÚDIO referente à manifestação do Sr. MARCOS DO VAL, acerca do trágico episódio envolvendo o seqüestro de duas garotas na cidade de Santo André – SP.

Os argumentos que serão expostos a seguir são lastreados na mais moderna doutrina de Gerenciamento de Crises e Negociação de Reféns adotada pelas corporações policiais do Brasil, pelo que passo a considerar o seguinte:


1. A Polícia Militar do Estado de São Paulo, através de seu Grupo de Ações Táticas Especiais – GATE – foi, é e continuará sendo referência nacional de polícia (aqui congrego todas as corporações policiais do Brasil) em matéria de atendimento de ocorrências de alto e altíssimo risco, mormente as que envolvem artefatos explosivos e tomada de reféns. Este grupo solucionou mais de 40 (quarenta) casos com sucesso só neste ano, referente ao último quesito e libertado mais de 3.000 (três mil) reféns durante sua existência.


2. A doutrina dominante no Brasil para atendimento de ocorrências envolvendo a tomada de reféns, tendo em vista a natureza dos criminosos neste país, tem como elemento primordial o processo exaustivo de NEGOCIAÇÃO, não se restringindo a limites temporais para encerrar este processo, mas sim a alguns fatores que determinam o encerramento das negociações (o assassinato de um refém, por exemplo). No caso em tela, não houve até o momento da invasão algum fator que determinasse, de forma cabal, a invasão tática ou a eliminação (neutralização) do seqüestrador. No Brasil, na grande maioria dos casos, o tempo decorrido é fator aliado da Polícia, porque pode criar uma situação de afetividade recíproca entre seqüestrador e refém, conhecida como "síndrome de Estocolmo", que auxilia a polícia a solucionar a ocorrência pela via da negociação. O exemplo trazido pelo entrevistado, levando em consideração situações ocorridas nos Estados Unidos não se prestam para o Brasil, devido à natureza diferenciada dos criminosos nos dois países. Contudo, se for o caso de considerar as "9 horas" que DO VAL citou como exemplo de limite de tempo, houve uma situação envolvendo reféns na cidade de Waco, Texas, em que as negociações superaram uma semana, até que acontecesse a invasão.


3. Alternativas "hollywoodianas" de invasão tática trazidas à baila pelo Sr. DO VAL, tem muito maior probabilidade de gerarem tragédias, devido às suas variáveis, do que a negociação ou a invasão tática por vias mais simplificadas, sendo a simplicidade um dos princípios do atendimento deste tipo de ocorrência. A alternativa de invasão apresentada pelo entrevistado funciona muito bem em filmes, não na realidade.


4. Por falar em entrevistado, o mesmo não é nem nunca foi policial, sendo a experiência prática um fator predominante para se opinar diante de uma situação como esta. O referido cidadão nunca conduziu uma ocorrência desta natureza em sua trajetória. Ademais, DO VAL é instrutor da SWAT americana na senda de imobilizações táticas (defesa pessoal), o que nada tem a ver com o fato ora avaliado.


5. A via da invasão ou assalto tático, juntamente com o tiro de comprometimento são sempre as últimas alternativas consideradas pela polícia, haja vista que a preservação da vida de todos os envolvidos (inclusive o seqüestrador) é importante para a polícia nestes casos. Especificamente nesta situação, o seqüestrador não deu motivos para que a polícia cessasse as negociações, posto que, inclusive, libertou três reféns no decorrer do evento crítico, dando a entender plenamente que o evento se resolveria sem mortes ou incidentes.


6. O entrevistado afirmou ter "vergonha de ser brasileiro". Devia ter vergonha de si mesmo ao fazer uma afirmação como esta para o programa de maior audiência nacional no dia e hora referenciados.


7. Por derradeiro, cabe salientar que, prima facie, podem ter acontecido equívocos na condução do processo por parte da polícia, mas trata-se de situação de extremo risco e imprevisibilidade, em que qualquer decisão é muito complicada, sendo que a análise não pode ser feita de forma superficial e sim somente depois de muito estudo acerca do fato. Impende ressaltar ainda que esta análise deve ser realizada por quem realmente entende e tem experiência prática para fazê-la, o que não é, definitivamente, o caso do Sr. MARCOS DO VAL.


Atenciosamente,


ELIÉSIO RODRIGUES

Coronel Comandante Geral da

Polícia Militar de Santa Catarina

2 comentários:

Major Augusto disse...

Aos amigos de farda,


Leiam esse meu email até o fim, ele tem diversas informações importantes que eu e os meus policiais levantamos durante esses 26 dias que se passaram depois da entrevista desse senhor no Fantástico.
Vocês já leram a carta que ele tem da NASA? Fiz questão de ligar pessoalmente para o responsável do serviço de proteção da NASA e para a SWAT de Dallas.


Conclusão: Nós PMs, temos que ser justos.... Realmente o Sr Marcos do Val é um profundo conhecedor no assunto de operações especiais. Tem gabarito para falar com propriedade sobre o assunto. Por Incrível que pareça!!
Busquei também informações nos quatros cantos do Brasil para saber se já houve em toda a nossa historia da polícia ou até mesmo do nosso próprio país, alguém que tivesse chegado a esse patamar. Não encontrei ninguém nesses mais de 115 anos da Policia Militar que tivesse ido tão longe.


O que é melhor ainda percebi que ele não sendo um policial é uma grande vantagem, ele tem a liberdade de expor os seus pensamentos assim como o fez nesses últimos dias, sem ser punido por indisciplina, sem perder o cargo, sem ser transferido, sem ficar detido, etc.. Essa liberdade nós não temos, se é que vocês me entendem.

Não temos como negar que ele estava certo e teve muita coragem em ir a TV colocar a sua cara a tapa e arriscando toda a sua carreira aqui no Brasil para mostrar a sociedade a "pressão" que recebemos. Vi que mesmo depois de tudo que passou a sua empresa continua inabalada, (www.cati.com.br). Isso também nós mostra que fizemos um pré-julgamento, mostra que não tínhamos como sentir "orgulho de ser Brasileiro" com toda aquela política interferindo no trabalho do GATE.

Vi que estava usando a minha emoção e não a minha razão para julgá-lo. Como um policial Militar e exercendo uma função de comando percebi que estava enaltecendo valores que não deveriam ser enaltecidos, fiz notas de repúdio ao "marcos do mal", proibi os meus policiais de freqüentarem os seus cursos.


Portanto parceiros, reconhecendo a minha precipitação e injustas, decidi hoje fazer esse email e enviar novamente para todos vocês que estavam comigo na "emoção".


Peço que, caso você já esteja também na esfera "razão", por favor re-envie essas informações coletadas por mim a todos os policiais dessa nação.

É isso que o Brasil espera de nós, de sermos justos!!!

Ten.Cel. PM/P2 Timoteo
___________________________________________________________________

Faço as palavras do dramaturgo alemão - BERTOLD BRECHT as minhas palavras.
Ele escreveu esta obra prima:

"Aquele que não conhece a verdade é simplesmente um ignorante, mas aquele que a conhece e diz que é mentira, este é um criminoso"
Então, você é um IGNORANTE e/ou é um CRIMINOSO?
Marcos do Val
CATI President ? SWAT Instructor

Aberto para pesquisa:
Eu não precisaria mais priorizar o meu tempo com a minha defesa, até porque muitos "jornalistas sensacionalistas", "Políticos incomodados" e "inimigos" ligaram insistentemente aqui para a SWAT tentando achar alguma inverdade sobre mim, mas nada conseguiram, muito pelo contrario. Sou o primeiro estrangeiro na área da Segurança Pública a conquistar esse espaço e receber do governo dos EUA o visto de trabalho "O1" (especificado abaixo), além de cartas da NASA, etc...

DEPARTMENT OF HOMELAND SECURITY

U.S. Citizenship & Immigration Services allowed Work Visa ? category "O 1"
Follow below that visa category explanation:

The O-1 category is available to foreign nationals who have "extraordinary ability" in science, art, education, business, which has been demonstrated by sustained international acclaim and whose achievements have been recognized in the field through extensive documentation. Extraordinary ability is a high level of expertise and indicates that the person is one of a small percentage who has risen to the very top of the field.


Carta da NASA (para visualizar o documento é só ir no link abaixo)


NASA - National Aeronautics and Space Administration

11 de Setembro de 2006

"As táticas e técnicas inovadoras do Sr. do Val são das mais modernas e difíceis de serem encontradas; portanto, não há instrutores táticos nos Estados Unidos acessíveis ao pessoal da NASA que são tão qualificado e internacionalmente condecorado em ensinar tais técnicas como o Sr. do Val."

"Enquanto receberam instrução do Sr. do Val, meus oficiais comentaram que ele demonstrava um profundo conhecimento do assunto, era extremamente profissional a todo o tempo, e disposto a compartilhar os seus conhecimentos. Em minha opinião profissional, o Sr. do Val atualmente atua no mais alto nível de policiamento e táticas policiais e o Departamento de Proteção da NASA foi muito afortunado em disponibilizar as suas técnicas, inovadoras, modernas e que salvarão vidas, ao nosso pessoal."

Encerrando, a NASA está muito agradecida pela oportunidade que tivemos de trabalhar com o Sr. do Val. Com este documento eu lhe entrego as minhas mais altas recomendações da parte do Sr. Marcos do Val.

Respeitosamente,

Michael Wilson
Chefe do Departamento do Serviços de Proteção da NASA/USA

Clique aqui para visualizar o documento:
http://www.cati.com.br/site/img/empresa/nasa.jpg ou http://www.cati.com.br/site/pt/?target=noticia_interno&cid=48



SWAT DE DALLAS COMPROVA EXPERIÊNCIAS TÁTICAS DE MARCOS DO VAL

Carta aberta:

Esta carta foi escrita em vista dos recentes acontecimentos no Brasil que têm atraído nossa atenção aqui nos Estados Unidos.

Nós compreendemos e nos compadecemos com as pessoas envolvidas no infeliz evento ocorrido em São Paulo na segunda semana de outubro de 2008. Este não é o local nem o momento para criticar ou comentar sobre a operação. Respeitosamente, nós queremos dar fundamento sobre a reação aos comentários e críticas feitas por Marcos do Val, do CATI Brasil.

Nós temos trabalhado com Marcos do Val há quase 9 anos em várias ações. Apenas para relembrar, Marcos tem feito muito esforço em relação ao treinamento de policiais globalmente, e em particular, no Brasil.

Marcos é um brasileiro com orgulho e fervor em sê-lo. Ele tem dedicado sua vida para trazer os melhores instrutores para ajudar a treinar e aprimorar colegas policiais brasileiros; muito disso a um custo para ele tanto pessoal quanto financeiro. Vocês têm sorte em ter uma pessoa tão dedicada que apóia o Brasil com tanto comprometimento.

Além disso, o Sr. Do Val está morando nos Estados Unidos da América para se aprimorar com muitos dos melhores e mais treinados oficiais da SWAT. A maior parte do tempo com as equipes da SWAT do Texas onde também participa das operações reais com esses times. Ele progrediu e se tornou um instrutor para a Associação de Polícia Tática do Texas (TTPOA), as equipes da SWAT de Dallas, Beaumont, Irving e Austin, assim como muitas outras. Como resultado, Marcos é o representante sul americano da TTPOA.

Junto com suas técnicas, Marcos tem um histórico de assistência em escolas básicas da SWAT que ensinam táticas a novos oficiais da SWAT. Ele também auxiliará no ensino da escola avançada da SWAT que acontecerá em Dallas em novembro de 2008. Esta escola ensina táticas avançadas que incluem resgate de reféns, entradas dinâmicas, rapel tático e CQB. Marcos tem sido um mentor, um amigo e confidente para muitos de nós aqui no Texas. Nós temos orgulho por ele ser um exemplo tão brilhante do significado da palavra "honra" entre os homens.

Nós da SWAT de Dallas temos orgulho do Marcos do Val e de nossos amigos policiais brasileiros. Vocês se tornaram nosso lar longe de casa.

Enfim, vocês têm um recurso nacional em Marcos do Val e como todo recurso natural, deve ser utilizado e não explorado.

Respeitosamente subscrito,

Christian D'Alesandro - Dallas SWAT - Program Director TTPOA
JT Curtis - Dallas SWAT - TTPOA Instructor
Jason Perez - Dallas SWAT - TTPOA Instructor
Andre Taylor - Dallas SWAT - TTPOA Instructor
Rich Emberlin - Dallas SWAT - TTPOA Instructor
Scott Mcdonnold- Dallas SWAT - TTPOA Instructor


Outras informações:



Países que ministra os seus treinamentos:


1. United States of America
2. Italy
3. Portugal
4. Spain
5. China
6. East Timor
7. Brazil

8. Romania
9. Croatia
10. Belgium
11. Luxembourg
12. France

Fotos das instruções nesses Países:
http://www.cati.com.br/site/pt/?target=fotos


Unidades Policiais que foram treinadas por ele nesses Países:

http://www.cati.com.br/site/pt/?target=curso_instituicao



Especialidades como instrutor:

HOSTAGE RESCUE
MULTIPLE BREACH DYNAMIC ENTRIES
RAID PLANNING
TACTICAL IMMOBILIZATION
VEHICLE EXTRACTION

Alguns Documentos:



SWAT DE DALLAS COMPROVA EXPERIÊNCIAS TÁTICAS DE MARCOS DO VAL
http://www.cati.com.br/site/pt/?target=noticia_interno&cid=152

Brasileiro recebe menção honrosa da NASA
http://www.cati.com.br/site/pt/?target=noticia_interno&cid=48

Videos com depoimentos dos Policiais da SWAT:
http://www.cati.com.br/site/pt/?target=videos&cid=5

Videos com entrevistas nos EUA, Europa e no Brasil (incluindo as duas entrevistas no Programa do Jô Soares 5 anos atras):
http://www.cati.com.br/site/pt/?target=videos&cid=10&pagina=1


Sua equipe de Instrutores:

http://www.cati.com.br/site/pt/?target=curso_instrutor


Videos com as entrevistas:
http://br.youtube.com/user/marcosdoval


Justiça seja feita!!!!!!

Major Augusto disse...

Muito interessante!!!



Então o Coronel Felix não pode ter errado porque é "Policial da Ativa" com mais de 25 anos de "Polícia" ????? Mas ele também é muito gordo para estar em um grupo de operações especiais, estou certo ??????

Para mim, ele sim, envergonhou toda a nossa PM. Marcos do Val não é PM, não usa a nossa farda e não estava no comando da operação, então ele pode errar quando quiser, como quiser e aonde quiser que não fará diferença alguma para mim e nem para vocês.

Então, me preocupo em ver vocês querendo esconder os absurdos erro da operação e desviarem o problema para as declarações de Marcos do Val.

Outra pergunta, por que vocês não comentam sobre a entrevista dele no Programa da Ana Maria Braga que foi ao vivo e sem cortes?





RADIOGRAFIA



Marcos do Val X Coronel Eduardo Felix



Vamos ser coerentes, quem estava errado nas declarações sobre o episódio de Santo André? O "Especialista Teórico" Marcos do Val ou o "Coronel da Ativa" Eduardo Felix?



Vamos ao currículo de cada um:



Marcos do Val: Especialista em Imobilizações táticas e Resgate de Reféns estudioso do assunto com 10 anos de experiência em atividade policial de alto risco, sendo instrutor de grupos de Operações Especiais em mais de 12 países (Dentre esses grupos podemos destacar SWAT, FBI, Vaticano e NASA), e que só prestou suas declarações após ouvir a opinião de vários outros especialistas em gerenciamento de crise do mundo (conforme ele próprio declarou na TV). Corram antes que a Globo tire do ar esse vídeo por solicitação do Governador Jose Serra e do PSDB http://video.globo.com/Videos/Player/Entretenimento/0,,GIM900195-7822-INSTRUTOR+DA+SWAT+CULPA+COMANDANTE,00.html



Cel Felix: Coronel com 32 anos na Polícia Militar de São Paulo. Em sua carreira, segundo a Assessoria de Imprensa da Polícia Militar, sempre atuou na Cavalaria. Há apenas três meses no comando do Policiamento de Choque. Ele é responsável pelos batalhões das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota), Policiamento de Eventos, em dias de jogos e shows em estádios, Comando de Operações Especiais, (COE), Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE) e pelo Regimento de Cavalaria 9 de Julho.





Declarações prestadas:



A) Primeira declaração:

Cel Felix: "Eu colocaria até um filho meu para voltar como refém", e defendeu ainda o retorno de Nayara ao processo de negociação com Lindembergue. Continuou dizendo que Nayara não era refém, que estava lá porque queria e que poderia sair a qualquer momento.



Marcos do Val: Nunca em nenhum lugar do mundo aconteceu esse lamentável episodio de devolver uma refém, eu sinto vergonha de ser brasileiro e ver que a policia brasileira fez isso, por causa de um coronel incompetente que em 30 dias arruinou a imagem do GATE.



b) Segunda Declaração:

Cel Felix: "Nós poderíamos ter dado o tiro de comprometimento. Mas era um garoto de 22 anos, sem antecedentes criminais e uma crise amorosa. Se nos tivéssemos atingido com um tiro de comprometimento, fatalmente estariam questionando por que o Gate não negociou mais, por que deram um tiro em jovem de 22 anos de idade em uma crise amorosa, fazendo algo em determinado momento em que se arrependeria para o resto da vida",



Marcos do Val: Não importa quem ele era e o que pensava, o importante é que ele estava com uma arma apontando para duas inocentes e já havia disparado nos policiais que estavam na rua em frente ao prédio. Isso é um crime grave e pela própria lei Brasileira já poderia ter usado a força letal para proteger os inocentes. Era só ter cumprido a lei vigente.



C) Terceira Declaração:

Cel Felix: (depois de Nayara ter afirmado de forma indubitável que não houve disparo dentro da casa antes da invasão), admitiu em depoimento prestado na quinta-feira que os policiais que invadiram o apartamento onde as adolescentes Eloá Cristina Pimentel da Silva e Nayara Rodrigues Vieira Silva eram reféns, podem ter confundido um barulho com um tiro dado pelo seqüestrador.



Segundo a versão, o disparo ouvido por eles levou à invasão do cativeiro.



"Eu tenho que acreditar na minha equipe. Mas pode ter tido um outro barulho e a polícia interpretou como tiro - disse Félix.

Perguntado se a PM pode voltar atrás na sua convicção sobre o disparo do seqüestrador, ele declarou:

Não há problema nenhum em voltar atrás. Mas todas as declarações dadas no depoimento são as mesmas que eu dei até agora - disse. "



Marcos do Val: O Gerente da crise não precisa dar explicações se o tiro foi antes ou se foi depois, mesmo porque Lindemberg já havia feito vários outros disparos e nem por isso o GATE invadiu. O negociador é quem avisaria ao gerente da crise se a negociação não estava evoluindo, com base nessas informações ele poderia decidir por um tiro de comprometimento e/ou uma entrada tática. Nessa segunda opção sempre ha um grande risco de morte como aconteceu.



Sou Major da PM, mas tenho que concordar que o Marcos do Val falou com muito mais propriedade e equilibrio.

Major PM Augusto